A Tear, uma rede de iniciativas femininas, foi lançada na noite desta terça-feira com concorrido coquetel no rooftop do restaurante Fitó, em Pinheiros, em São Paulo

Tear é lançada com festa em São Paulo

Artistas, blogueiras, cantoras, empresárias, personalidades prestigiaram o evento no restaurante Fitó, que contou com show de Claudia Manzo e pick-ups de Renata Corr


Mulheres poderosas. O evento teve pocket-show da cantora chilena radicada no Brasil, Claudia Manzo, e a DJ Renata Corr comandou as pick-ups da festa. A iniciativa foi das publicitárias Isabela Ventura e Marcella Mugnaini e das advogadas Rosely Cruz e Vanessa Louzada, quatro amigas empreendedoras que se uniram e criaram a Tear, dispostas a mudar o cenário de desigualdade de gênero no Brasil.

O evento contou com roda de depoimentos de mulheres inspiradoras e exemplos de sucesso em diferentes áreas de atuação. Dentre elas, Eliane Dias (produtora cultural, CEO da Boogie Naipe, empresária do Racionais MC’s, o maior grupo de rap do país e coordenadora do SOS Racismo na Assembleia Legislativa de São Paulo), Ana Fontes (Rede Mulher Empreendedora), Elisa Stecca (designer de joias e artista plástica), a chef Cafira Foz (sócia do Fitó, premiado restaurante de culinária nordestina, de equipe 100% feminina, com mulheres cis e trans, e eleito recentemente pelos prestigiados New York Times e Guia Michelin como um dos passeios obrigatórios em São Paulo). Passaram para conhecer as novidades da Tear e prestigiar  a iniciativa a atriz Mariana Hein, as cantoras Vanessa Jackson, Francine Moh e MC Soffia, Julia Tolezano (vlogueira do canal JoutJout Prazer, referência para as mulheres), jornalistas, blogueiras, empresárias, formadoras de opinião e todas conectadas com as causas feministas.

Tecer um futuro desejável para as mulheres.  Assim é a Tear, uma rede de iniciativas femininas que articula oportunidades para mulheres de todos os territórios no mercado brasileiro. As mulheres constituem a maioria da população brasileira, 52%, mas ainda não conquistaram a igualdade de direitos sociais, políticos e econômicos. No Brasil, as mulheres ainda ganham 30% a menos que os homens para exercerem a mesma função, segundo dados do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Segundo o Instituto Ipsos, em pesquisa em 24 países, 41% das entrevistadas, no Brasil, confessaram ter medo de se expressar e de lutar pelos seus direitos. Esse percentual é bem maior do que a média global, que ficou em 26%. As mulheres do Brasil ficaram atrás apenas das indianas (as mais receosas em brigar pelos seus direitos), com 54% e das turcas, 47%.

Criada pelas jovens empresárias Isabela Ventura, Marcella Mugnaini, Rosely Cruz e Vanessa Louzada, o objetivo da Tear é criar mecanismos e ações para reduzir as desigualdades econômicas, sociais e políticas entre os gêneros e possibilitar o desenvolvimento profissional e pessoal das mulheres. Para isso, atuará nas seguintes frentes: educação empreendedora, plataforma digital, programa de aceleração, recrutamento e, em breve, a Casa Tear, uma casa colaborativa para mulheres empreendedoras, com uma série de atividades educacionais, empreendedoras, de cuidado, culturais e artísticas. Tear, a roda de fiar, como instrumento de luta para criar novos modos de existência, mais éticos, mais livres, mais verdadeiros e mais justos. 


Serviço:
Facebook: /redetear
Instagram: @redetear/

___

Muita gente bacana esteve por lá: 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O casamento dos Safra, destaque mundial em São Paulo, saiba como foi

Dr. Food, o método seguro de emagrecimento sem sacrifícios

Família Jafet comemora 130 anos de imigração no Brasil. Com louvor. Recordando Sra. Violeta Basílio Jafet.