Gastronomia Casual Mil: um novo restaurante que fica - e não fica - na Hebraica!

Recém inaugurado, restaurante anexo ao clube Hebraica, tem projeto arquitetônico de Nelson Dupré (Sala São Paulo) e decoração contemporânea, que deixam o amplo ambiente ao mesmo tempo elegante e descolado. Não é preciso ser sócio para frequentar o restaurante. A entrada é pelo lado externo do clube. Com sistema de bufê, a casa já conquistou muitos clientes que buscavam uma nova opção gastronômica na região.
Aberto ao final do ano passado, o restaurante Casual Mil, anexo ao clube Hebraica, já conquistou muitos clientes que buscavam uma nova opção na região “dominada” pelos dois shoppings (Iguatemi e Eldorado). O projeto arquitetônico de Nelson Dupré (Sala São Paulo) e a decoração contemporânea deixam o amplo ambiente ao mesmo tempo elegante e descolado. Não é preciso ser sócio para freqüentar o restaurante, já que, diferentemente do que ocorre em outros clubes da cidade, a entrada é pelo lado externo do clube (rua Hungria, 1.000). Daí o nome do restaurante. A variedade de público torna o local ainda mais interessante: em algumas mesas há executivos da região da Faria Lima e em outras, famílias de sócios do clube – de diretores a atletas e freqüentadores da galeria de artes e biblioteca.
A casa oferece um sistema de bufê, com oito opções de pratos frios e saladas e 11 pratos quentes, além de acompanhamentos, apresentados em réchauds de prata ou travessas coloridas de porcelanas orientais. As opções mudam diariamente. De terça a sexta-feira, o bufê sai por R$ 45,00 e nos finais de semana e feriados por R$ 52,00.
A chef Juliana Cintra destaca algumas das opções. “De entrada, há terrine de cenoura, carpaccio tradicional, mix de verdes com ameixas frescas e queijo minas curado ou rúcula com tomate seco e crocante de castanha do Pará”. Entre os pratos, há delícias como a receita com coxa e sobre-coxa de frango com molho de tangerina. “Por meio da redução ao ponto de caramelo, a carne é laqueada com especiarias como a flor de sumac (típica do oriente médio), cardamomo, coentro em pó, canela vermelha e outras”, explica. Outros dos pratos prediletos de Juliana são o filé mignon em crosta de cogumelo Paris desidratado, ao molho de vinho do porto; coq au vin; salmão em crosta de ervas, purê de pupunha com xerem; Saint Peter ao molho de cogumelos frescos, escalope de mignon ao molho de amora e a pescada amarela em crosta de ervas e camomila, ao molho de iogurte e vinho branco. “Sou adepta da cozinha contemporânea, sem abrir mão dos clássicos”, diz Juliana.
Aos sábados, é servida a feijoada Casual. Desenvolvida pela nutricionista Maria Cecília Corsi, sócia do restaurante, não utiliza derivados de carne suína, que são substituídos por linguiça de frango, peito de peru defumado, coxão mole e carne seca, além de laranja e couve. “O restaurante não é kasher (tradicional dieta alimentar dos judeus observantes), mas não utilizamos em nenhuma receita carne de porco e frutos do mar”, explica Maria Cecília. Às sextas-feiras e domingos há sempre alguma referência à gastronomia judaica, como beigel e vareniques. “Os associados gostam e o público de fora adora”, diz Juliana.
Entre as sobremesas, iogurte aromatizado com lavanda e calda de amora; a NY Cheesecake, com coulis de frutas vermelhas; a torta cremosa de maçã e a mousse de chocolate com amêndoas e canela, além de frutas da estação (de R$ 8 a R$ 12,00).
O ambiente, para 120 pessoas sentadas, projetado pelo arquiteto Nelson Dupré (Sala São Paulo), é clean, espaçoso e descolado. A ampla parede repleta de pedras em tom de bege combina com o piso de madeira mais escuro e recebe iluminação direta, tornando o espaço também charmoso e aconchegante. Pilastras próximas ao bufê, no meio do salão, são revestidas de fórmica preta e recebem diariamente as indicações das receitas que compõe o menu do dia, todas escritas manualmente com giz colorido. Também em giz, divertidas e/ou enigmáticas frases do folclore judaico – de Groucho Marx a Woody Allen, passando ainda por jóias do Talmud. Mais ao fundo, em um amplo balcão, funciona o bar.
O bom humor judaico (segundo Luís Fernando Veríssimo, “nos Estados Unidos, de cada dez humoristas nove são judeus e um não é muito bom”) aparece também na comunicação do Causal Mil. O flyer distribuído para os sócios da Hebraica tem o seguinte slogan: “Casual Mil: para nenhuma ídiche mame* botar defeito. Ou melhor: quase nenhuma...”
Bebidas
A carta de vinhos é enxuta e traz rótulos como o argentino Escorihuela Familia Gascón Chardonnay (R$ 60,00); o português Maria Mansa (R$ 95,00) e o sul-africano Aigle Noir Blend (R$ 75,00). Também há garrafas com 187ml, como o chileno Leyda Reserve Carmenere (R$ 22,00). Há opções em 375 ml, como o francês Bouchard Bourgogne Pinot Noir “La Vignée” (R$ 65,00) e o italiano Allegrini Corte Giara Rosso IGT (R$ 38,00). “Vamos aos poucos aprimorar a nossa carta, de acordo com as sugestões dos freqüentadores e dos especialistas”, afirma o sócio Adolfo Gorenstein, que também é sócio de diversos restaurantes em espaços culturais paulistanos, como o Café do Theatro Municipal e os restaurantes da Sala São Paulo, Masp e Centro Cultural São Paulo.
O restaurante da Sala São Paulo, aliás, inspirou o bufê que é servido na Hebraica. "Muitos dos frequentadores dos concertos são da comunidade judaica que conhecem e apreciam a nossa culinária. Por isso, achamos que um modelo semelhante no almoço podia dar certo, anexo ao clube”, diz Gorenstein. “Ou melhor: podia ser um bom negócio. Para ambas as partes”, brinca. Além de estar de olho no que acredita ser um mercado carente de bons lugares na região, Gorenstein também investe no filão dos eventos realizados na Hebraica. “O clube sedia a incrível marca de quatro mil eventos por ano – de festas sociais, como casamentos, a eventos culturais, como festivais de cinema e lançamentos de livros”, diz.
* Mãe judia.
Mais alguns itens do cardápio
· Boconccine de mignon ao molho de funghi seco
· Salmão com crosta de castanha de caju e farinha de rosca
· Mezzaluna de mussarela ao molho Pomodoro
· Risoto de aspargos com limão siciliano
· Polpettone com molho de tomates frescos e secos
· Purê de cará
· Arroz com amêndoas tostadas
Saladas
· Carpaccio de abobrinha ao pesto de agrião com castanha do Pará
· Salada de cevadinha com ervas
· Salada de vagem com limão siciliano
· Confit de tomates
· Terrine de cream cheese
· Molhos – Iogurte, golf ou limão
Eventos
A casa abre à noite para eventos fechados e pode receber até 180 pessoas sentadas para um jantar ou 240 para um coquetel.
Sobre a Chef Juliana Cintra
A chef Juliana Cintra atuou em diversos espaços gastronômicos, como Sweet Brasil, como chef executiva; Bella Paulista, como chef consultora e restaurante Bahar, como chef consultora, além do restaurante da Sala São Paulo. Tem sólida experiência na produção de eventos sociais e coorporativos. “Sou adepta da cozinha contemporânea, sem abrir mão dos clássicos”, afirma a chef Juliana Cintra.
Sobre os sócios do restaurante
Adolfo Gorenstein atua há 25 anos no mercado gastronômico. É sócio de diversos restaurantes em espaços culturais paulistanos, tais como o Café do Theatro Municipal e os restaurantes da Sala São Paulo, Masp e Centro Cultural São Paulo.
Maria Cecilia Corsi, nutricionista e consultora. É sócia da Essencial Light, conceituada clínica de reeducação alimentar.
Restaurante Casual Mil - Rua Hungria, 1.000 – Jardim Europa – São Paulo – Tel.: (11) 2579-1029 - 8artemil@gmail.com - Capacidade: 120 lugares - horário de funcionamento: Almoço: De terça a sexta-feira, das 12h às 15h; sábados, domingos e feriados das 12h às 16h; Cheque: sim; cartões de crédito: Mastercard, Visa, Diners, Amex; cartões de débito: Maestro, Visa Electron, Redeshop; tíquetes: VR, Sodexo e Visa Vale; acesso para deficientes: sim; Banheiro para deficientes: sim; área de fumantes: não; rolha (permite levar vinhos): sim, o valor R$ 20,00; vinho em taça: sim (algumas opções); couvert: não; couvert artístico: não; preço do bufê: R$ 45,00 na semana e R$ 52,00 nos finais de semana e feriados. sócios do clube têm 20% de desconto no preço do bufê (R$ 36,00 no meio da semana e R$ 42,00 nos finais de semana); estacionamento: valet, R$ 15,00; internet sem fio: sim; área de recreação ou atividades para criança: não; entrega em domicílio: não; metrô a menos de um quilômetro: não; ar-condicionado: sim; aceita reserva: sim; mesas ao ar livre: não; música ao vivo: não; inaugurado em de novembro de 2011.
Gontof Comunicação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O casamento dos Safra, destaque mundial em São Paulo, saiba como foi

Dr. Food, o método seguro de emagrecimento sem sacrifícios

Carin e Miguel Mofarrej